Santo Aníbal Maria Di Francia iniciou duas Congregações Religiosas: as Filhas do Divino Zelo (FDZ) (1887) e os Rogacionistas do Coração de Jesus (RCJ) (1897) para que o carisma do Rogate fosse difundido e vivido na Igreja e na sociedade. As religiosas FDZ e os religiosos RCJ zelam pelo cumprimento do mandamento de Jesus: “Rogai pois ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (cf. Mt 9,38 e Lc 10,2).Isso significa que eles rezam diariamente pelas vocações, propagam essa oração e se esforçam para serem bons operários e operárias.

Nomes das Congregações

O nome “Rogacionista” indica-nos, pela raiz etimológica, a oração e a ação (rogatio+actio). A nomenclatura “Filhas do Divino Zelo” faz pensar na essência desta oração: zelo e ardor pelo Coração de Jesus que se compadece diante das multidões cansadas e abatidas. Juntos, Rogacionistas e Filhas do Divino Zelo são chamados a viver e zelar por esse carisma tão necessário e profundo na Igreja e na sociedade.

Testemunhas do Rogate

Os Rogacionistas e as Filhas do Divino Zelo compartilham a “compaixão” do Coração de Cristo, e se inflamam do seu próprio “zelo”. Como filhos e filhas que acolhem o mandamento do Rogate, assumem sua consagração e a vivem com intensidade, segundo as inspirações carismáticas de Santo Aníbal.





15º Encontro Anual da Associação das Famílias Rog


Recordar é reviver "Ao celebrar 150 anos do Rogate recordamos que foi aos Pés de Jesus Eucarístico que Aníbal teve a primeira intuição deste mandamento do Coração de Jesus. Rogai ao Senhor da Messe que envie operários para messe. Recordamos também que nesta pericope (Mt 9,35-38) Aníbal encontrou a luz que iluminou seu olhar, a luz que o fez ver a Messe na ótica do Cristo. O Rogate que nasceu aos pés do Senhor, e como essência de um verdadeiro incenso subiu ao céu e se expandiu nos cinco continentes. Se nós como Família ROG não dobramos os joelhos diante do Senhor, se não dilatarmos o coração não conseguiremos exalar o perfume do Cristo. É quando nos colocamos aos pés do senhor que Ele nos mantém de pé e nos ajuda a caminhar..." Pe. Luciano Grigório, assessor do encontro.